Archive for November, 2008

2008 foi o ano em que me apaixonei por Hélio Pellegrino. E, esporadicamente, eu tento convencer cada vez mais pessoas a se encantarem com a simples genialidade dele. No capítulo de hoje, um trecho de uma entrevista que ele deu a Clarice Lispector: CL: Hélio, diga-me agora, qual a coisa mais importante do mundo? HP: […]


park that car, drop that phone, sleep on the floor, dream about me.


(…) Quanto mais pesado o fardo, mais nossas vidas se aproximam da terra, fazendo-se tanto mais reais e verdadeiras. Inversamente, a ausência absoluta de um fardo faz com que o homem se torne mais leve do que o ar, fá-lo alçar-se às alturas, abandonar a terra e sua existência terrena, tornando-o apenas parcialmente real, seus […]