Madrid, I: A Crise

02Feb12

O primeiro assunto e o que aparece toda hora por aqui: a crise. Eu estive na Espanha em setembro de 2010, quando a crise já tinha estourado, mas ainda não afetava tanto o país. Os primeiros efeitos estavam começando, eu saí (por sorte) daqui no dia anterior à primeira greve geral.

E um ano e meio depois, muita coisa mudou. Há muito mais pedintes nas ruas (a maioria diferente dos que vemos no Brasil, claro. Aqui nao há meninos de rua, nem drogados) e a sinceridade chega a doer: um cartaz numa loja de metrô dizia, em caixas altas: “POR CAUSA DA CRISE, venderemos abaixo do preço até o fim do estoque”. Depois de ler isso, baixei os olhos e encontrei os do dono da loja, desanimado, como se dissesse “Pois é”

Apesar disso, a crise aqui é diferente do que no Brasil: um ano e meio e milhares de desempregados depois, o bilhete de 10 viagens do excelente metrô de Madrid (que merece outro post) custa quase a mesma coisa: € 9.30

Advertisements


One Response to “Madrid, I: A Crise”

  1. 1 Rodrigo Borges

    Crise sempre é triste. Normalmente os milionários continuam milionários e, para isso, esmagam os trabalhadores. Parece papo de comunista parado no tempo, mas não se trata disso. É apenas um fato.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: